Kurt Vonnegut Jr., nascido no ano de 1922, onde aqui comemoramos a Semana de Arte Moderna, e falecido em abril de 2007, foi um escritor norteamericano de ascendência germânica. Formou-se em Química, lutou na Segunda Guerra e, aprisionado, assistiu o bombardeio de Dresden. Após a Guerra, formou-se em Antropologia e tornou-se escritor.

Publicou romances e ensaios, e montou diversas peças teatrais. No Brasil, foi publicado por diversas editoras, como L&PM, Record e Rocco.

Para a felicidade dos aspirantes a escritores, Vonnegut enumerou 8 regras para a escrita ficcional:

1 – Use the time of a total stranger in such a way that he or she will not feel the time was wasted (use o tempo de um completo estranho de forma que ele não sinta que esse tempo foi desperdiçado);

2 – Give the reader at least one character he or she can root for (dê ao leitor ao menos uma personagem com a qual ele possa se apegar);

3 – Every character should want something, even if it is only a glass of water (todos os personagens devem querer alguma coisa, mesmo que seja um copo d’água);

4 – Every sentence must do one of two things — reveal character or advance the action (toda frase deve realizar uma de duas coisas – revelar quem são os personagens ou progredir na ação);

5 – Start as close to the end as possible (comece tão perto do final quanto possível);

6 – Be a sadist. Now matter how sweet and innocent your leading characters, make awful things happen to them — in order that the reader may see what they are made of (seja sádico, não importa o quão doces e inocentes sejam seus personagens principais, faça com que coisas terríveis aconteçam com eles – dessa forma o leitor poderá ver do que eles são feitos);

7 – Write to please just one person. If you open a window and make love to the world, so to speak, your story will get pneumonia (escreva para satisfazer uma pessoa apenas; se você abrir a janela para ouvir o mundo, sua história vai pegar pneumonia);

8 – Give your readers as much information as possible as soon as possible. To heck with suspense, readers should have such complete understanding of what is going on, here and why, that they could finish the story themselves, should cockroaches eat he last few pages (dê aos seus leitores tanta informação quanto possível no mínimo possível de tempo. Para o diabo com o suspense. O leitor deve ter completa compreensão do que está acontecendo, de como e por quê, para poder completar a história por conta própria caso as últimas páginas sejam comidas por baratas).

Compartilhar
Artigo anteriorVisão da obra
Próximo artigoHora de cair dentro
Paula Cajaty
Escritora, editora, poeta e crítica literária. Nasceu no Rio de Janeiro e publicou "Afrodite in verso" e "Sexo Tempo e Poesia" em 2008 e 2010, além de participações em antologias e coletâneas. Criou o boletim Leituras em 2007 e publicou mais de 154 edições até o início de 2014, quando conheceu a Dani Fernandes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here